quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Descrente!!!

Queria apenas uma chance, para mostrar o que sinto,
Mas sabes que te amarei enquanto eterno for o tempo.
Mesmo que devaneie pela distancia sem alento,
Ou quando a saudade me criva a sua dor, e triste ficar consinto…

Queria apenas desvendar um teu olhar,
Ver nossas almas num beijo enlaçadas.
Lembrar historias por nós nunca contadas,
Viver de sonhos, mesmo sem chegar a sonhar…

Mas sinto-te distante,
O amanhã, é incerto, de mim ausente,
E o amor, é apenas eterno num indefinido instante…

Queria mostrar-te o que é mais que evidente,
Mas a fé em mim, não é constante,
Por fim, tudo o que sei, me torna descrente…

5 comentários:

Natacha disse...

Olá...

A Esperança é a última a morrer :)

Mas no fundo também me sinto assim. São momentos...

Grata por seguires as minha tatuagens que por motivos de saúde não têm sido actualizadas :)

Beijo

Palma da Mão disse...

Boa noite, um dia ensinaram-me que nos albuns de fotografias não constam momentos de desilusão, mas que são esses momentos, que nos transportam de uma fotografia para a outra:)Gostei do teu espaço
Beijinhos
Liliana

Diva disse...

Mr,
Diva sente-se honrada de constar na sua lista de favoritos.

Gostei, especialmente, deste poema talvez porque tenho esperança de algo que nunca irá mudar...

Bisou

Palma da Mão disse...

A falta é fruto de uma ausência...
Espero que esteja tudo bem...já sinto saudades...
Beijinhos
Liliana

Menina Marota disse...

Bem... posso esperar sentada pela actualização deste blogue, não é?

Gostava de o ler...